Frangos e Salmonelas. Convencionais ou Alternativos? Estudo da UNESP.

Título: Salmonella spp. em frangos de corte criados com e sem o emprego de promotores de crescimento : prevalência e perfil de resistência a antimicrobianos das cepas isoladas /
Autor:                Teixeira, Daniela Mossumez Fernandes.
Colaboradores: Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia.
Descrição:        Orientador: José Paes de Almeida Nogueira Pinto
Banca: Luciano dos Santos Bersot
Banca: Vera Lúcia Mores Rall

No presente estudo foram avaliadas carcaças de frangos convencionais (originárias de aves que recebem promotores de crescimento) e alternativos (que não recebem promotores de crescimento), com o objetivo de:
a) avaliar o efeito da não utilização de tais drogas sobre a prevalência de Salmonella spp. em frangos alternativos, comparando-a com a dos convencionais;
b) determinar e comparar o perfil de resistência a antimicrobianos das cepas de Salmonella spp. isoladas de ambos os tipos de frangos;
c) avaliar o efeito das operações de abate sobre a contaminação das carcaças, tanto em frangos convencionais quanto nos alternativos.

Foram avaliadas 50 carcaças convencionais e 48 alternativas, as quais apresentaram prevalências de Salmonella spp. de 58% e 56,3%, respectivamente, ao longo da linha de abate.

Na entrada dos frangos no abatedouro, não houve diferença significativa (p > 0,05) nas prevalências entre os dois grupos testados (38% nos convencionais e 47,9% nos alternativos), sendo que ao final do processamento os convencionais apresentaram 47,9% de positividade contra 14,6% dos alternativos, diferença essa significativa (p < 0,05). S. Enteritidis foi o sorotipo predominante entre as cepas identificadas.

Quanto ao perfil de resistência, nossos resultados mostraram que, quando observada, ela foi maior nas cepas oriundas dos frangos convencionais.

Conclui-se que:
a) a não utilização dos promotores de crescimento não levou a um aumento da prevalência de Salmonella spp. nas aves alternativas;

b) as cepas oriundas de frangos alternativos revelaram uma tendência a um menor nível de resistência aos antimicrobianos testados quando comparadas às dos convencionais;

c) as operações de abate, no caso das aves alternativas, foram responsáveis por uma diminuição na contaminação inicialmente observada no tocante à Salmonella spp, sendo que no caso das convencionais, pelo seu aumento.

Data de Edição:          7-Dez-2012
Editora: Botucatu : [s.n.],

Palavras chaves:      
Saude animal.
Frango de corte.
Antibioticos.
Salmonella.
Chicken - Growth promoters. eng

Fonte (Item completo): 

Aparece nas coleções:  Banco Digital de Teses e Dissertações

Comentários

Postagens mais visitadas