Como evitar transgênicos ao comer fora de casa

De: Epoch Times

Conselhos sobre como evitar os transgênicos mesmo estando fora de casa (Cortesia de Jupiterimages/photos.com)
Conselhos sobre como evitar os transgênicos mesmo estando fora de casa (Cortesia de Jupiterimages/photos.com)
Estou completamente decidida a evitar, na medida do possível, consumir organismos geneticamente modificados (OGM), ou transgênicos. Eu sei que é difícil, porque os cultivos que não fazem o plantio de alimentos modificados geneticamente, estão sendo cada vez mais contaminados pelos cultivos de OGM, como é, por exemplo, o caso do trigo, segundo Market Watch.
Pessoalmente, me parece um compromisso digno. Os OGM são potencialmente prejudiciais à nossa saúde, assim como à integridade do nosso meio ambiente. Evitar o consumo de OGM proporciona benefícios para a saúde e um impacto positivo na distribuição de alimentos e práticas agrícolas.
Os OGM estão incrivelmente generalizados neste momento. Estima-se que 80% dos alimentos consumidos pelos cidadãos norte-americanos são modificados geneticamente, de acordo com ucbiotech.org. Além desta estatística alarmante, devemos levar em conta que, paralelamente a este consumo, vem a falta de consciência. Atualmente, não há leis nos EUA que exijam a rotulação dos alimentos modificados geneticamente, mesmo os OGM sendo proibidos em mais de 60 países, de acordo com o Projeto Não-OGM.
Como pode um cidadão americano estar interessado em navegar neste campo minado? Pessoalmente, poucas vezes me alimento fora de casa. Porém esse enfoque é similar à abstinência. A maioria dos trabalhadores americanos necessita comprar, em algum momento de cada semana, alimentos já preparados.
Pode parecer desanimador, mas com um pouco de informação e perseverança, é possível forjar uma área quase livre de transgênicos por sua própria conta. Abaixo estão algumas diretrizes para situações em que é necessário alimentar-se fora de casa:
Investigar
Coloque em ação os meios de busca, e encontre quais restaurantes de sua região servem alimentos orgânicos. Isto certamente é mais fácil em algumas cidades do que em outras. Se você mora em Nova York, Berkeley, ou Los Angeles, está com sorte. Em outros locais terá um trabalho preliminar. A certificação de alimento orgânico não permite o uso de OGM. Procure falar diretamente com o proprietário ou gerente para ter uma idéia do seu nível de compromisso.
Etnias
Procure pensar em alimentos étnicos que não incluem cultivos transgênicos conhecidos (beterraba, milho, soja, canola, abóbora e mamão papaia). Isto é lamentável, para mim, pois os alimentos vietnamitas e tailandeses são meus favoritos. Porém, a maioria dos restaurantes asiáticos utilizam uma grande quantidade de soja, e se não é orgânica, pode apostar que é soja GM, ainda mais se for cultivada nos EUA. A comida hindu é uma opção, já que, a princípio, é cozida com manteiga. Porém, novamente, precisamos conhecer seus ingredientes.
Fale com os proprietários
Mais uma vez, fale com o proprietário de qualquer restaurante que esteja interessado em obter uma imagem mais. Muitos estão dispostos a fazer concessões para manter seus clientes satisfeitos.
Tenha cuidado com ingredientes ocultos
Pode ser fácil evitar alguns alimentos que se sabe que são transgênicos, porém é importante saber que tipo de óleo de cozinha utiliza o estabelecimento. A maioria usa óleo de canola. Você pode perguntar no restaurante se é possível que utilizem outro óleo para cozinhar seus alimentos, como o azeite de oliva ou mesmo manteiga. Também recomendaria evitar a manteiga que não for orgânica, já que o gado é alimentado convencionalmente com nutrientes GM, mas este é outro assunto. Você também deverá ter cuidado com ingredientes como o amido de milho, rico em frutose, lecitina de soja e proteína de soja, que podem estar à incluídos em molhos e temperos.
Pense de maneira simples
Ingredientes simples ajudam na alimentar sem o risco de transgênicos, sendo uma tarefa simples. Por exemplo, uma boa refeição italiana poderia incluir trigo, azeite de oliva, peixe, e molho de tomate. Uma refeição simples com peixe e verduras é outra opção saudável.
Evitar os OGM não é uma grande façanha, mas é algo realmente importante. O questionamento para os restaurantes sobre suas práticas e ingredientes pode parecer uma obrigação, e muitas vezes é realizado com impaciência e irritação. Porém, a criação desse diálogo com os proprietários é um passo importante para modificar o uso dos OGM.
Tenha em conta que, se perguntarmos aos responsáveis sobre a utilização de OGM, eles poderão tomar consciência de que é algo que preocupa os seus consumidores e que as mudanças podem ser bem-vindas.
Abril Reigart é assessora de saúde integral, certificada e graduada pelo Instituto de Nutrição Integral. Ministra classes particulares e em grupos, e oferece conferências mensais na Web para um grupo capacitado.

Comentários

Postagens mais visitadas