Alunos com restrição alimentar têm merenda especial na Afasc

Olha que legal para o pessoal de Santa Catarina!

Fonte: ENGEPLUS
Cinco refeições são servidas diariamente para mais de 4,5 mil crianças
18/02/2015 15:03 por Mariana Noronha - mariana.noronha@engeplus.com.br



Foto: Saimon Novack / Afasc


A alimentação das crianças acaba sendo sempre motivo de preocupação para os pais, principalmente para aqueles cujos filhos estão longe de casa ou têm algum tipo de restrição alimentar. É o caso da professora Daniela Branco, de 36 anos, que recebeu o diagnóstico do filho há um ano, de que Francisco, de um ano e três meses, é alérgico à proteína do leite. “Ele não pode comer nem alimentos que contenham traços de leite. Preciso estar sempre atenta aos rótulos”, comenta. Um dos momentos de tranquilidade para Daniela é quando Francisco está na escola. “Lá ele também recebe a alimentação adequada. Fico aliviada”.

O pequeno frequenta o Centro de Educação Infantil (CEI) Lapagesse, no Centro de Criciúma. Ele não é a única criança que tem restrição alimentar. Há coleguinhas, assim como ele, que não podem ingerir leite. Há também os intolerantes ao glúten. Isso não significa que os pratos servidos a eles sejam menos apetitosos. “Estamos sempre inovando e ampliando o número de receitas sem leite ou sem glúten. A meninada tem aprovado”, diz a cozinheira Janaina do Livramento, que ajuda a preparar diariamente as refeições de aproximadamente 500 crianças.

O mesmo cuidado e empenho com a alimentação dos pequenos tem a lactarista Zélia Domingos, que prepara, em média, 100 mamadeiras por dia. “Cada bebê tem uma alimentação específica. Por isso preciso estar sempre atenta durante o preparo e na hora da entrega”, afirma Zélia, que também utiliza papel e caneta como ferramentas de trabalho.

Cinco refeições são servidas diariamente para mais de 4,5 mil crianças

De acordo com a nutricionista da Afasc, Renata Manique Barreto, todos os 29 CEIs – que assistem mais de 4,5 mil crianças de zero a cinco anos - disponibilizam alimentação adequada para cada faixa etária. Ela explica que, no início do ano letivo é elaborado um cardápio balanceado que visa atender as necessidades nutricionais dos pequenos nas cinco refeições servidas na escola. “Montamos um cardápio específico para crianças de zero a quatro meses, de quatro meses a um ano, e de um a cinco anos”.

Segundo a nutricionista, para as crianças que têm restrição alimentar, a Afasc disponibiliza os alimentos necessários. “As cozinheiras e serventes, que passam por constantes capacitações, desenvolvem receitas sem leite, sem glúten... dependendo da necessidade de cada criança”, afirma Renata. Ela observa que, para receber a alimentação especial, é preciso que os pais apresentem um atestado médico apontando a restrição alimentar da criança. “Atualmente, nos CEIs da Afasc, as restrições estão associadas à lactose e ao glúten”.

Colaboração: Saimon Novack / Comunicação Afasc
 

Comentários

Postagens mais visitadas