segunda-feira, 13 de abril de 2015

Da série " A melhor maneira de ajudar uma pessoa é ensiná-la a pensar - Praticidade ou qualidade, saúde ou doença? Vc escolhe.

"Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo.

O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso.

Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.

A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores pois...

Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO. Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA. "

Eu tenho mania de ler coisas e ligá-las com a alimentação, é um vício já. Isso também aconteceu com este texto do Roberto Shinyashiki.


Vou explicar. Ao tomarmos consciência da importância da alimentação que escolhemos, o que esse alimento representa na nossa saúde, nos impactos ao Meio Ambiente, na vida do Agricultor, na vida da nossa família. Que podemos escolher se nossos filhos terão ou não lembranças de sabores e aromas vindos da nossa cozinha, refletindo cuidados e carinhos. Ao optarmos por um alimento mais puro, sem os malefícios dos agrotóxicos, transgênicos, aditivos químicos, o caminho certamente será mais árduo, seremos diferentes da maioria, enfrentaremos dificuldades e críticas.

Teremos que planejar onde comprar este alimento, procurar feiras especializadas, conversar com os agricultores, relembrar gostos e cheiros. Teremos que criar o hábito de ler os ingredientes nos rótulos, descobrir o que realmente está dentro das embalagens e que aquelas marcas “mães”, tradicionais, são as mais envenenadas de aditivos, açúcares, sódio e gorduras ruins.

Comida de verdade não vem dentro de pacotes ou saquinhos. Exige mais da nossa atenção, mas também nos brinda com sabores e saberes especiais, que estarão presentes em nossa memória pelo resto de nossas vidas.

A indústria alimentícia sabe muito bem disso, usam imagens lúdicas e palavras doces para nos fazer cair nessa estranha teia alimentícia, que nos faz pensar em um chocolate “pensado para crianças” ou sucos industrializados, cheios de açúcar e aditivos, que representam tanto o carinho de uma mãe, que faz com que a criança queira ser igual à ela quando crescer.

Caímos nessas armadilhas que criaram alimentos para crianças e alimentos para adultos. Alimento infantil é leite materno. Quando a criança começa a se alimentar come comida de adulto, ou o que deveria ser chamado de comida: frutas, verduras, legumes, grãos, etc. Não parece óbvio?


Então porque servimos refrigerantes nas mamadeiras? Porque premiamos as crianças com quilos de sódio, açúcar, gordura e conservantes disfarçados em pirulitos, biscoitos recheados, salgadinhos, gelatinas coloridíssimas, chocolates com tudo menos cacau, achocolatados, sorvetes, e outras calorias vazias de nutrientes e que só fazem mal aos pequenos? “E depois, reclamamos: meu filho não come, só gosta de besteiras”!

Alimentar é nutrir, é cuidar, é gerar saúde e energia. Tenho visto algumas mães cuidadosas que são criticadas porque dão frutas às crianças: “Nossa sua filha gosta de melancia?” Ou porque dão água em vez de refrigerante e ainda ouvem “ela vai ficar aguada, com vontade!” Vontade de que se ela nunca experimentou? Ah dá um docinho para ele, afinal é uma criança! Por isso mesmo, é uma criança que ainda não sabe escolher.

Temos o poder de formar o paladar de nossos filhos e optamos pela praticidade. Papinhas industrializadas são mais rápidas do que cozinhar alguns legumes, amassar e servir uma comida fresca, rica em nutrientes e que sabemos de onde veio e como foi feita. Espremer uma laranja também é muito complicado, melhor abrir uma latinha ou uma caixinha longa vida, com a vantagem de que aquele líquido não estraga, não é? Aí para os biscoitinhos cheios de gordura vegetal é um salto e terminamos no fast food, afinal todo mundo faz assim!

Pois é, e neste ponto retornamos lá no texto acima: “para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso”.


Quem quer fazer alguma coisa, encontra um MEIO. Quem não quer fazer nada, encontra uma DESCULPA. 

É por isso que escrevo este Blog Alimento Puro que esclarece o que é alimento de verdade e o que é produto alimentício, as armadilhas dos agrotóxicos, transgênicos, industrializados. 

Não sabe como colocar em prática? Leia as receitas no meu outro Blog BioCulinária, pesquise, crie faça diferente, mas faça. 

Alimentar é nutrir a vida de VIDA.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário.
Ele nos ajuda a pesquisar os assuntos que interessam a você, leitor.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feiras Orgânicas