Postagem em destaque

Vitória da infância contra o McDonald's

7 motivos para se preocupar com os agrotóxicos:


Fonte: Ministério Público Federal


1) Em 10 anos, o número de agrotóxicos que chega ao consumidor final no Brasil dobrou
2) Cada brasileiro consome, em média, 5,5kg de defensivos agrícolas por ano
3) De cada 3 vegetais consumidos, pelo menos um possui níveis inaceitáveis de agrotóxicos
4) Os 5 alimentos mais contaminados: pimentão, morango, pepino, alface e cenoura
5) 64% dos agrotóxicos utilizados no Brasil foram considerados como produto perigoso
6) O glifosato é o mais utilizado no Brasil e a OMS reconheceu características cancerígenas do produto
7) Os agrotóxicos contaminam alimentos, a água que você bebe e também o leite materno

Em várias ações pelo país, o Ministério Público Federal vem pedindo a suspensão ou o banimento do uso de certos produtos agrotóxicos. Em uma dessas ações, a Justiça determinou que a Anvisa precisa concluir estudos sobre 6 herbicidas utilizados no Brasil. Entre eles está o glifosato, considerado produto perigoso. http://bit.ly/1LIJCNF

Relatório da Anvisa: http://bit.ly/1ekn7R5
Dossiê Abrasco: http://bit.ly/1NloI33
Indicadores de Desenvolvimento Sustentável 2012 (IBGE): http://bit.ly/1Noo0Xd

Leite e carne orgânicos têm maior teor de ômega-3, diz estudo


Esse tipo de ácido graxo contribui para reduzir as doenças cardiovasculares, melhoram o desenvolvimento neurológico e a função imune

Fonte: Saúde Plena
AFP - Agence France-Presse   Publicação:16/02/2016 09:08


Estudo publicado nesta terça-feira (16/02) no British Journal of Nutrition mostra que o leite e a carne orgânicos são muito mais ricos em ômega-3 - ácidos graxos essenciais para o bom funcionamento do corpo humano. No caso da carne, a opção orgânica ainda contém menos gorduras saturadas, acusadas de aumentarem o risco de doenças cardiovasculares.

A pesquisa mostrou que tanto o leite quanto a carne orgânicos têm cerce de de 50% de ácidos graxos ômega-3 a mais do os produtos provenientes da agricultura tradicional. Os pesquisadores da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, examinaram 196 artigos consagrados ao leite e 67 à carne e "encontraram diferenças claras entre leite e carne orgânicos e convencionais, especialmente no que diz respeito ao teor de ácidos graxos".

"Os ômega-3 contribuem para reduzir as doenças cardiovasculares, melhoram o desenvolvimento neurológico e a função imune", comentou Chris Seal, um dos professores.

Ele ressaltou que se a Agência Europeia de Segurança Alimentar preconiza dobrar a ingestão de ácidos graxos do tipo ômega-3 no regime alimentar das populações da Europa, ele é difícil de ser absorvido por meio da alimentação tradicional. "Nosso estudo sugere que optar pelo orgânico permitiria numa certa medida melhorar a ingestão destas substâncias nutritivas essenciais", explica Seal.

Aumentar a porção de ômega-3 não significa absorver mais calorias ou gorduras saturadas indesejáveis, ressaltaram os pesquisadores.

Você está lendo rótulos de forma errada.

Faz um tempinho que quero falar sobre isso, mas corre daqui, corre de lá e isso foi ficando naquela imensa relação de coisas para fazer "urgentes", rs. 

Mas hoje vai: quando vamos preparar uma receita em nossa casa, a primeira coisa é ler os ingredientes não é? Nos produtos industrializados somos ensinados a ver primeiro se tem gordura, sódio, colesterol, etc... etc...

Quanto tempo perdido, e depois escuto assim: Ah.., mas ler rótulos dá trabalho, se perde muito tempo. Porque você está lendo errado criatura!!!

Se na leitura dos rótulos você começar pelos ingredientes, tudo será mais rápido:

1) Se tem muito açúcar ele já aparece lá "primeirão"..... CORTA! Os primeiros ingredientes são os que estão em maior quantidade  e o açúcar pode ter vários nomes. Veja

2) Se tem um monte de nomes esquisitos que você não sabe o que é, isso é aditivo químico, que compromete a sua saúde e da sua família..... CORTA!

3) Se tem gordura vegetal hidrogenada, gordura vegetal, óleo vegetal ..... CORTA! Você conhece as identidades secretas do Gordura Vegetal Hidrogenada? Leia.

4) Se tem amido de milho, soja, canola ..... CORTA! (É transgênico) O que são alimentos transgênicos? 

5) Se tem Glutamato Monossódico que é um realçador de sabor e vicia suas papilas gustativas te fazendo comer mais e mais ..... CORTA!

6) Se fala que é integral e aparece farinha enriquecida com ácido fólico, isso é farinha branca gente! E se aparece farinha integral primeiro e depois glúten, vc está sendo levado a comer uma quantidade incrível de proteína (glúten) que pode fazer mal e inflamar vários órgãos, só para deixar a massa mais macia.

7) Se um alimento é enriquecido com vitaminas e outros ingredientes, lembre-se são sintéticos. O que nutre de verdade vêm das verduras, frutas, legumes e grãos, tudo fresco e de preferência ORGÂNICOS. Por isso, os industrializados não são considerados alimentos e sim "PRODUTOS ALIMENTÍCIOS" ou seja, são fabricados como as canetas, os tratores, as lâminas de barbear, etc. Os princípios são os mesmos criar uma necessidade e lucrar com isso.

Não podemos nos esquecer também da Data de Validade: quando vemos lá no supermercado que determinado produto está em oferta por estar com a data de validade próxima do vencimento, em vez de corrermos para comprar, devíamos correr para longe. 

Gente ... a data de validade determina há quanto tempo aquele produto começou a estragar, ou há quanto tempo ele não é mais fresco, cheio de nutrientes, etc.  Porque pagar por um produto velho, nem que seja bem baratinho?

Vamos ver alguns exemplos?


Quem disse que peito de peru é mais saudável?????





Uma excelente fonte de informações é o pessoal do Fechando o Ziper vale a pena visitar.

Lei proíbe guloseimas em escolas públicas e privadas do DF

Fonte IDEC


Fonte: G1

Decreto foi publicado nesta terça; escolas têm até 90 dias para se adequar. Entre itens proibidos estão refrigerantes, salgadinhos, biscoitos e frituras.

Foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (24) decreto que proíbe guloseimas em escolas públicas e privadas do Distrito Federal. A determinação consta na lei nº 5.146, de 19 de agosto de 2013. De acordo com o documento estão vetados das cantinas e de comércios próximos refrigerantes, salgadinhos, biscoitos, frituras e pipocas industrializadas. Os colégios têm até 90 dias para se adequarem.

Pela norma, podem ser vendidos no ambiente escolar legumes, frutas, sucos naturais, iogurte, bebidas lácteadas, sanduíches naturais sem maionese, pães e biscoitos integrais, tortas ou salgados assados e barras de cereais sem chocolate.

As cantinas comerciais localizadas no interior das escolas ainda devem oferecer para consumo, diariamente, pelo menos uma variedade de fruta da estação in natura, inteira ou em pedaços. De acordo com a lei, as unidades só poderão funcionar mediante alvará sanitário.

Nota de Nadia Cozzi:
Parabéns à iniciativa é um começo, mas sempre terão os integrais de mentira, bebidas lácteas (???? será?), barras de cereais cheias de açúcar, etc. Bom mesmo é lanche feito em casa. Sei das dificuldades por não saber cozinhar ou falta da tempo, mas cozinha é organização, funciona como uma Empresa, simples assim. Que tal preparar a Lancheira do seu filho com um monte de coisas saudáveis e que fazem bem à saúde. Veja

AS 7 MARCAS DE CHOCOLATE QUE UTILIZAM TRABALHO ESCRAVO INFANTIL

Fonte: O Planeta que temos



Em setembro de 2015, foi apresentada uma ação judicial contra a Mars, a Nestlé e a Hershey alegando que estas estavam a enganar os consumidores que "sem querer" estavam a financiar o negócio do trabalho escravo infantil do chocolate na África Ocidental.

Crianças entre os 11 e os 16 anos (por vezes até mais novas) são fechadas em plantações isoladas, onde trabalham de 80 a 100 horas por semana. O documentário Slavery: A Global Investigation (Escravidão: Uma Investigação Global) entrevistou crianças que foram libertadas, que contaram que frequentemente lhes davam murros e lhes batiam com cintos e chicotes. "Os espancamentos eram uma parte da minha vida", contou Aly Diabate, uma destas crianças libertadas. "Sempre que te carregavam com sacos [de grãos de cacau] e caías enquanto os transportavas, ninguém te ajudava. Em vez disso, batiam-te e batiam-te até que te levantasses de novo."
Em 2001, a FDA queria aprovar uma legislação para a aplicação do selo “slave free” (sem trabalho escravo) nos rótulos das embalagens. Antes da legislação ser votada, a indústria do chocolate - incluindo a Nestlé, a Hershey e a Mars - usou o seu dinheiro para a parar, prometendo acabar com o trabalho escravo infantil das suas empresas até 2005. Este prazo tem sido repetidamente adiado, sendo de momento a meta até 2020. Enquanto isto,o número de crianças que trabalham na indústria do cacau aumentou 51% entre 2009 e 2014, segundo um relatório de julho de 2015 da Universidade Tulane.

Como uma das crianças libertadas disse: "Vocês desfrutam de algo que foi feito com o meu sofrimento. Trabalhei duro para eles, sem nenhum benefício. Estão a comer a minha carne."

As 7 marcas de chocolate que utilizam cacau proveniente de trabalho escravo infantil são:
Hershey
Mars
Nestlé
ADM Cocoa
Godiva
Fowler’s Chocolate
Kraft

Assista ao documentário “O lado negro do chocolate” aqui.
Fonte: U.S. Uncut


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feiras Orgânicas