Postagem em destaque

Vitória da infância contra o McDonald's

Mercês tem “escadaria comestível”: conheça o novo projeto de horta urbana

A horta comunitária completa 3 meses e tem combatido as ocupações negativas na área

18/11/2017



por Bruna Junskowski*

Apropriar-se de maneira positiva das estruturas do bairro em que se vive é construir uma cidade inclusiva. Esse é o propósito da horta comunitária na Rua Raquel Prado, nas Mercês, chamada carinhosamente pela comunidade de “Escadaria Comestível das Mercês”. Em funcionamento há apenas três meses, a nova horta comunitária da cidade tem manjericão, sálvia, feijão crioulo, brócolis, salsinha e outras variedades.

A iniciativa do projeto foi do antropólogo

Ricardo de Campos Leinig, junto com outros quatro amigos: na adolescência, ele costumava se reunir com os amigos no mesmo local, para conversar e tocar violão. “É uma incerteza se a comunidade vai se apropriar ou não. Mas puxamos um mutirão e vieram 50 pessoas para ajudar”, conta.

Uma homenagem ao médico paranaense Abib Calixto, a estrutura onde se encontra a horta consiste em um jardim em degraus. Porém, nos últimos anos, as floreiras, que deveriam ser destinadas ao plantio, foram concretadas pela administração pública. No primeiro mutirão da Escadaria Comestível, o foco foi retirar esse concreto para poder iniciar o plantio da horta.

Para ser implementado, projeto teve mutirão entre os moradores. 
Foto: Escadaria Comestível
Ocupação e intervenção

Além de fornecer alimentos orgânicos livres de agrotóxicos , esses projetos, crescentes no Brasil e em todo o mundo também ocupamespaços vazios da cidade.

De acordo com o engenheiro civil e urbanista Roberto Ghidini, as hortas comunitárias datam o período pós Guerra Mundial, em que a população dos países envolvidos plantava nos quintais de casa os alimentos a serem consumidos, e compartilhava com os vizinhos. “Naquela época, já havia um princípio de solidariedade, de recuperar a perda”, diz.

Entretanto, o fundo do quintal destinado às plantas foi sendo apropriado gradativamente por grandes empreendimentos imobiliários. “O espaço urbano vai se transformando e os espaços pessoais vão sendo substituídos”, afirma Ghidini, que salienta, ainda, que as hortas comunitárias podem combater a chamada ocupação negativa. “Mudar o patrimônio ou colocar câmeras não adianta. É preciso resgatar a memória de cada bairro, promover uma ocupação positiva que minimize a negativa”, afirma Leinig.


Cuidados para manutenção da horta são divididos entre a comunidade. 
Foto: Escadaria Comestível

Cuidado compartilhado

De acordo com Ricardo, os próximos passos para a horta da Escadaria Comestível das Mercês são a captação de água da chuva para regar as plantas e a compostagem.
“Queremos chegar ao ponto de regar com a água da chuva, mas enquanto isso, há um morador que rega com a água do condomínio em que vive. Depois dividimos o valor da conta entre nós”, conta ele sobre a manutenção.

Apesar do temor de alguns moradores de que o trabalho do plantio pudesse ser vandalizado, o local tem sido respeitado e ocupado. “Nossa relação é de amor à horta. A pessoa que tem essa relação com o submundo, que usa a estrutura para se esconder, ali se sente incluída em algo radicalmente publicizado. Mesmo que não seja colaboradora da horta, ela respeita”, salienta o idealizador.

Coletivo urbano retrata nova horta comunitária nas Mercês no Dia dos Pais
Impasses

A Escadaria Comestível surgiu após os impasses entre Prefeitura e moradores que mantêm uma horta comunitária no bairro Cristo Rei terem sido solucionados. Em junho deste ano, a horta do Cristo Rei, criada na calçada da Rua Roberto Cichon, recebeu uma notificação da Secretaria Municipal de Urbanismo exigindo a retirada das plantas em até dez dias. A notificação tratava a horta comunitária como uma situação de falta de limpeza adequada na calçada.

Para preservar a horta comunitária, os moradores da região protocolaram uma Defesa de Notificação na Secretaria Municipal de Urbanismo, e fizeram um abaixo-assinado, que reuniu mais de 2 mil assinaturas a favor da horta. Um mês depois, a notificação foi suspensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário.
Ele nos ajuda a pesquisar os assuntos que interessam a você, leitor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feiras Orgânicas