Numa calçada do Poço, carro estaciona para vender orgânicos

Fonte PORAQUI

Por Marina Suassuna em Casa Forte | Poço da Panela | 17 de novembro de 2017

Foto: Marina Suassuna/PorAqui

Toda terça-feira de manhã, quem passa pela Rua dos Arcos, no Poço da Panela, Zona Norte do Recife, se depara com uma cena corriqueira: um carro estacionado quase em frente ao Bar do Chico vendendo frutas e verduras. Pra quem não sabe, os produtos são orgânicos e vêm do Sítio Palmeira, no município de Pombos, onde a agricultora Maria da Silva mora e produz.

Dona Maria sobrevive da agricultura orgânica há cerca de 13 anos, tirando o sustento de sua família, o marido e três filhos. Antes disso, trabalhou com fornecimento de agrotóxicos pra Ceasa. “Antigamente, a gente só vivia no médico, tomando remédio. Hoje não. Depois que passamos a trabalhar e consumir orgânicos, raramente vamos no médico”, compara.

Mesmo com o aumento da demanda por produtos orgânicos, ela ainda aponta dificuldades. “É uma luta muito grande pra pouco reconhecimento. O governo faz propaganda da capacitação pra liberar técnicos que acompanhem o agricultor, mas se você for nas cidades procurar um técnico, você até encontra, mas eles não dão assistência ao agricultor. Pra ter um acompanhamento de um técnico, você tem que pegar do seu bolso porque o governo não libera pra gente, só pros grandes.”


Foto: Marina Suassuna/PorAqui

Horário


Dona Maria, que também faz parte da Feira de Orgânicos da Praça de Casa Forte, chega à Rua dos Arcos às 5h e fica até as 12h. Por ser uma rua de grande circulação, devido a bares, academias e escritórios de arquitetura e advocacia, os produtos de Dona Maria têm grande adesão. Ela passou a vender na região a pedido de uma moradora.

“Sempre venho aqui no intervalo do trabalho. A qualidade dos produtos é visível e o quanto eles duram também. Senti uma diferença enorme na minha alimentação depois que passei a consumir os produtos de Dona Maria”, diz Raphaella Lomônaco, que mora em Apipucos e trabalha nas proximidades da Rua dos Arcos.

Além de beneficiar os moradores e estabelecimentos do entorno, os produtos de Dona Maria acabam chamando atenção de quem passa despretensiosamente. Tem clientela que nem desce do carro pra comprar, faz o pedido do próprio veículo. Além das frutas da época, legumes e hortaliças, Dona Maria vende raízes como macaxeira, inhame e batata doce.Foto: Marina Suassuna/PorAqui

Comentários